Top 5: Dicas sobre Massagem Desportiva

0
1321

A massagem desportiva faz parte do plano de treinos de qualquer atleta de elite, as cargas diárias de treino exigem determinados cuidados que promovam o bem estar e ajudem a prevenir lesões e como se diz: o descanso faz parte do treino. Sim, a massagem não deve ser encarada como um luxo, não deve ser vista como elitista e apenas útil para profissionais. A massagem é um investimento. Apenas as necessidades são diferentes consoante o nível de carga de treino.

Se queres marcar uma massagem e sentir os benefícios no teu próprio corpo e performance deves ter alguns aspectos em atenção e saber que aquilo que é bom para determinados atletas não é bom para outros.

1. Diferentes tipos de Massagem

É importante saber que existem diversos tipos de massagem. Quando procuras uma massagem quase te apresentam um menu com dezenas de possibilidades. Mas, os efeitos também são diferentes. Uma massagem de pedras quentes ou duche vichi não proporciona os efeitos pretendidos pela massagem desportiva.

Uma massagem desportiva não é uma massagem exótica ou de SPA. É uma massagem que deve ter um objectivo específico de recuperação e relaxamento muscular, de melhorar a flexibilidade muscular e fascial, reduzir dor e melhorar a qualidade do movimento.

2. Estrutura da massagem desportiva

Uma massagem desportiva é feita com alguma intensidade mas respeitando sempre a dor de forma individual. A massagem não tem que, nem deve, ser dolorosa, a filosofia de ‘tudo o que dói cura’ é contraproducente. Aliás, há uma grande diferença entre dor e desconforto e essa informação é dada, e deve ser ouvida, pelo teu corpo. Não deves sentir que o teu corpo luta contra a massagem e se sentes que é um suplício, mais vale que a massagem termine ali mesmo.

A massagem apenas nas pernas é redutora. Na corrida criamos tensões em várias áreas do corpo, nomeadamente braços, ombros e zona lombar para além das toxinas produzidas não ficarem apenas nas pernas. Uma das áreas mais importantes é a massagem nos pés. Os pés são o nosso contacto com o solo, recebem a carga total do corpo e estão em contacto com o nosso cérebro durante toda a corrida a informar sobre o chão que pisamos e a pedir adaptações constantes a todo o corpo. Uns pés equilibrados vão ajudar a prevenir inúmeras lesões (não apenas nos pés)!

3. Calendário para a massagem

Podes fazer uma massagem para recuperar o corpo após o esforço físico ou antes do mesmo mas, precisas saber quando a planear. Se vais ter uma competição e não estás habituado a fazer massagem não deves fazer essa primeira massagem antes da competição (tal como não deves estrear umas sapatilhas novas no dia da prova), se o fazes com regularidade a última massagem deve ser 48h antes da prova, claro que atletas profissionais com rotinas quase diárias de massagem podem utilizá-la em qualquer altura.

Após uma competição também há uma janela temporal ideal que te permite recuperar com mais eficácia, estima-se que seja de 36 a 48h. Mas atenção, se estás muito dorido é preferível esperar ou escolher uma massagem mais drenante e com menos pressão de modo a não aumentar a resposta inflamatória muscular.

 

4. Escolher o massagista

Em Portugal existem diversos profissionais a executar a massagem desportiva, a verdade é que esta não está regulamentada e temos ‘profissionais’ com cursos de 20h sem formações prévias na área da saúde a fazerem massagens desportivas.

Um conselho prático é que procures alguém com experiência na área, recomendado por algum amigo ou colega de treino, que trabalhe habitualmente com desportistas e que tenha uma formação de base ligada à saúde, ele poderá fazer-te a massagem e terá a capacidade de estar alerta para situações físicas anómalas encaminhando para um profissional mais habilitado ou sendo fisioterapeuta, com experiência em traumatologia desportiva, poderá ajudar-te a prevenir ou recuperar de uma lesão, avaliando e planeando um tratamento adequado.

5. Cuidados antes e após a massagem

Alimentação: guarda o banquete para depois da massagem, deves esperar pelo menos 2h se tiveres feito uma refeição mais forte. O nosso corpo canaliza o sangue para a área mais ‘necessitada’, ao fazeres a massagem o sangue tenderá a fluir para a área massajada desviando o sangue do estômago o que atrasará a digestão e pode provocar má disposição.

Após a massagem se queres ser meticuloso aposta em alimentos ricos em água e antioxidantes. Estes irão potenciar a tua recuperação.

Hidratação: a hidratação é imprescindível em qualquer fase do dia de um atleta mas após a massagem deves reforçar a tua ingestão de líquidos. A massagem promove a remoção de toxinas e de ácido láctico mas, isoladamente não é eficiente. Ao estar bem hidratado o teu corpo irá livrar-se mais rapidamente destes produtos, drenado-os através da urina.

Quente e frio: Podes fazer um banho de imersão quente e colocar sal marinho na água para promover o bem estar e ajudar no equilíbrio iónico do teu corpo após a massagem. Mas, atenção se vais ter competição é preferível não o fazeres pois o corpo irá ficar ‘mole’ e menos reactivo. Prefere  água gelada após o banho ou um banho de gelo após o treino regenerativo.

‘Fiquei dorido’: Pois é, ficar dorido é uma reação normal e esperada. Provavelmente no dia seguinte não estás tão bem como desejarias mas, se a massagem foi bem executada, 48 horas após estarás pronto para a luta. Não chegues a casa irritado e não vás a correr buscar o teu rolo miofascial!

Treinar após a massagem: agenda a tua massagem após a sessão de treino. Treinar após a massagem não trará os benefícios que pretendes.

A massagem faz parte do treino, potencia o teu rendimento e ajuda a prevenir lesões. De que estás à espera?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here